A fibrose pulmonar configura-se como uma condição em que o tecido pulmonar é danificado e cicatriza, levando ao espessamento e à rigidez dos pulmões.

O resultado é uma redução na capacidade de oxigenação e, consequentemente, dificuldade respiratória.

Neste artigo, faremos uma análise sobre a fibrose pulmonar, abrangendo causas, sintomas, tratamentos e mais.

 

O que é fibrose pulmonar?

A fibrose pulmonar é uma condição em que o tecido pulmonar fica endurecido. Isso ocorre devido a múltiplos danos e consequentes cicatrizações que podem ocorrer nos pulmões, que acarretam dificuldade respiratória progressiva. Essas cicatrizes tornam o tecido pulmonar mais espesso e rígido, o que interfere na capacidade dos pulmões de funcionar adequadamente.

Os sintomas incluem falta de ar e cansaço. À medida que a fibrose pulmonar progride, a capacidade dos pulmões de fornecer oxigênio ao corpo fica comprometida. As causas podem ser variadas, incluindo exposição a agentes ambientais, certas doenças pulmonares, doenças do colágeno e, em alguns casos, a origem é desconhecida.

Atualmente, não existe cura para a fibrose pulmonar, mas há opções de tratamento para aliviar os sintomas e retardar a progressão da doença, como medicamentos, terapia de oxigênio e, em alguns casos selecionados, transplante pulmonar.

 

O que pode causar a fibrose pulmonar?

medico realizando diagnóstico de fibrose pulmonar

Como dito anteriormente, a doença é resultado de diversas formas de agressão aos pulmões, que com o passar do tempo levam a sua fibrose.

Isso pode ocorrer por conta de diversos fatores. Dentre eles a exposição a algumas partículas, associado a outras doenças, uso de medicamentos e até mesmo após tratamentos como radioterapia.

Fatores ambientais e ocupacionais podem provocar danos aos pulmões. Por exemplo, sílica, berílio, tungstênio entre outros.

A radioterapia a que os pacientes com câncer são submetidos podem gerar lesões no pulmão, meses e/ou anos depois.

Outro fator que pode ocasionar na doença é o uso de algumas medicações. Por exemplo, alguns quimioterápicos, antibióticos, remédios para o coração e até mesmo anti-inflamatórios.

A fibrose pulmonar também pode surgir por meio de outras condições médicas. Ou seja, esse dano nos pulmões pode vir associado a doenças como lúpus eritematosos sistêmico, dermatomiosite, esclerodermia, polimiosite, sarcoidose, entre outras.

 

Quais são os fatores de risco?

Diversos fatores podem aumentar o risco de desenvolver fibrose pulmonar. A exposição prolongada a determinadas partículas ou substâncias, como já mencionado, é uma importante causas.

O tabagismo também é um fator de risco significativo. Estudos mostram que fumantes têm uma probabilidade maior de desenvolver fibrose pulmonar em comparação com não tabagistas.

Outros fatores de risco incluem ter uma história familiar da doença e ter mais de 40 anos. A associação entre fibrose pulmonar e algumas doenças autoimunes sugerem também que respostas imunológicas anormais podem desempenhar um papel no desenvolvimento da condição.

 

Quais são os sintomas da fibrose pulmonar?

Inicialmente, os sintomas da fibrose pulmonar podem ser sutis e negligenciados ou confundidos com outras doenças pulmonares. Com o tempo, no entanto, eles se tornam mais pronunciados.

Dificuldade respiratória, inicialmente a esforço como durante atividades físicas, é um dos principais sintomas. Além disso, muitos pacientes apresentam tosse seca persistente.

Outras manifestações incluem fadiga, perda de apetite, perda de peso e dor torácica.

Um sintoma particularmente preocupante é a cianose, a qual é o aparecimento de uma coloração azulada nos lábios e nas extremidades como nas unhas, sinal de que a oxigenação está comprometida.

Se algum desses sintomas se manifestar, é fundamental buscar orientação médica.

 

Como a doença é diagnosticada?

paciente sendo diagnosticado com fibrose pulmonar

O diagnóstico preciso da fibrose pulmonar é crucial para o tratamento eficaz.

Inicia-se, geralmente, com uma análise clínica dos sintomas do paciente e um exame físico detalhado.

Os médicos frequentemente solicitam exames para avaliar o estado e funcionamento dos pulmões. Um dos exames é a tomografia computadorizada, que permite identificar áreas de fibrose e avaliar sua extensão. Também são realizados testes de função pulmonar, como a espirometria, que fornece dados sobre a capacidade pulmonar do paciente.

Em casos específicos, uma biópsia pulmonar pode ser necessária para definir o diagnóstico.

 

Quais são os tratamentos disponíveis?

Embora não haja cura definitiva para a fibrose pulmonar, os tratamentos buscam controlar os sintomas e retardar a progressão da doença.

Medicamentos antifibróticos têm sido utilizados com o intuito de reduzir a progressão da fibrose e preservar a função pulmonar.

Outros medicamentos, como corticosteroides e imunossupressores, podem ser prescritos para controlar a inflamação.

Em situações de insuficiência respiratória aguda ou em casos avançados da doença, a oxigenoterapia pode ser necessária. Nessa abordagem, o paciente recebe oxigênio suplementar para ajudar na troca gasosa.

Para aqueles com doença avançada e que não respondem a outros tratamentos, o transplante pulmonar pode ser uma opção. No entanto, é uma cirurgia complexa e vem com seus próprios riscos e desafios.

 

Quais são as possíveis complicações?

A fibrose pulmonar pode levar a várias complicações.

A mais evidente é a insuficiência respiratória, onde os pulmões não conseguem fornecer oxigênio suficiente ao corpo.

Outra complicação grave relacionada é a hipertensão pulmonar. Trata-se do aumento da pressão no sistema arterial pulmonar, o que pode resultar em insuficiência cardíaca.

 

Como se prevenir e quais os cuidados?

paciente com fibrose pulmonar praticando atividade física

A prevenção da fibrose pulmonar centra-se, em grande parte, na redução da exposição a fatores de risco conhecidos.

Naquelas profissões com exposição ambientais deve-se utilizar EPIs e evitar inalação de partículas.

Cessar o tabagismo é, sem dúvida, uma das melhores medidas preventivas.

Além disso, indivíduos com histórico familiar da doença devem ser monitorados regularmente por especialistas.

 

Perguntas frequentes

O que leva a ter fibrose pulmonar?

A fibrose pulmonar é causada por danos repetidos e cicatrizes nos tecidos pulmonares, o que pode ser resultado de uma variedade de fatores, incluindo exposição ambiental, doenças autoimunes e genética. Fumar também é um fator de risco significativo.

O que é fibrose pulmonar tem cura?

A fibrose pulmonar é uma doença crônica e progressiva que não tem cura, mas o tratamento pode ajudar a controlar os sintomas e melhorar a qualidade de vida. O tratamento geralmente envolve medicações para desacelerar a progressão da doença, oxigenoterapia e, em alguns casos, transplante de pulmão.

Quais os sintomas da fibrose no pulmão?

Os sintomas da fibrose pulmonar incluem falta de ar, especialmente durante atividades físicas, tosse seca persistente, fadiga e perda de peso sem explicação. Outros sintomas podem incluir dores no peito e unhas arredondadas ou inchadas nas pontas dos dedos (baqueteamento digital).

Quais os primeiros sintomas da fibrose?

Os primeiros sintomas da fibrose pulmonar muitas vezes são sutis e podem incluir falta de ar leve e tosse seca. Com a progressão da doença, esses sintomas tendem a se tornar mais graves e podem ser acompanhados por fadiga e perda de peso.